segunda-feira, 9 de abril de 2012

Aqui

neste mesmo espaço, onde já sorri,
espero o sono que quero eterno.

6 comentários:

João Roque disse...

Credo, Pedro, que extremismo...
Não te esqueças que, acima de tudo, o que importa é a Vida.

. intemporal . disse...

.

.

. venho convidar.te . para que visites o meu blogue . intemporal . amanhã . dia 10 de abril de 2012 .

.

. voltarei posteriormente para comentar o post . como habitual .

.

. um abraço . e muito obrigado .

.

. paulo .

.

.

Pedro disse...

João,

Podem estas linhas ter interpretações diferentes ;)

Paulo,

Eu é que te agradeço :)

Aos dois,
o meu mais sincero obrigado.

Abraço
[[[do tamanho da alma]]]

Anónimo disse...

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida. A música embala, as artes visuais animam, as artes vivas (como a dança e a arte de representar) entretêm. A primeira, porém, afasta-se da vida por fazer dela um sono; as segundas, contudo, não se afastam da vida - umas porque usam de fórmulas visíveis e portanto vitais, outras porque vivem da mesma vida humana. Não é o caso da literatura. Essa simula a vida. Um romance é uma história do que nunca foi e um drama é um romance dado sem narrativa. Um poema é a expressão de ideias ou de sentimentos em linguagem que ninguém emprega, pois que ninguém fala em verso."
- Fernando Pessoa

Não deixes de escrever ... Bluemoon

Daniel Silva (Lobinho) disse...

É natural que cometas lapsos, Pedro! No "sonmo" querias escrever "sonho"...

---

eu sei que nao é lapso, Pedro, mas é bom acreditares na Primavera...

Um abraço

Pedro disse...

Bluemoon,
Daniel,

Obrigado.[[[]]]

*****

Pedro